Os 5 hábitos dos Excelentes Profissionais

Os 5 hábitos dos Excelentes Profissionais

A excelência

é um hábito e como todo hábito pode e deve ser aprendido por qualquer profissional. Há apenas uma regra básica, nunca pare de buscar aperfeiçoar-se, pois segundo Cury (2015), a excelência profissional é “esculpida no terreno da educação, elaborada nos solos dos conflitos, forjada no calor dos desafios, esculpida no terreno das fragilidades” (p. 235).

Diante de um mercado cada vez mais dinâmico, urgente e veloz, com a tecnologia  deixando os recursos cada vez mais ao alcance de todos, ser excelente profissional pode ser a garantia para se destacar e não apenas para se manter no mercado competitivo atual.

O autor Augusto Cury apresenta 5 hábitos que acreditamos ser eficientes e de fácil aplicação, quando se tem comprometimento com a sua excelência profissional.

 

1º hábito: “encante – envolva – influência”

Vamos começar pelo detalhe? Exatamente isso! Sempre deixamos para falar da “cereja em cima do bolo” por último, no entanto, pode ser este o detalhe que falta para você ser o excelente profissional de destaque no mercado.

Seja intuitivo. A criatividade é uma habilidade que começaram a tirar de nós logo após os primeiros anos na escola (realidade de quem nasceu até a década de 1980). Quando ainda crianças começaram a “podar” nossas “idéias malucas” e fomos nos adequando a um sistema de entrega rápida e com o mínimo possível de porquês. Porém, este comportamento hoje não irá fazer de você o excelente profissional que deseja ser.

Mude seu modelo mental. Antecipe-se com soluções inovadoras, enxergue além do óbvio, entregue algo a mais do que lhe foi solicitado, ou melhor ainda, não espere ser solicitado. Surpreenda!

2º hábito:“manipule a arte da dúvida com maestria e humildade”

A capacidade de questionar e pensar em formas diferentes de encontrar soluções, mesmo antes que o problema se concretize, é o hábito de antecipação, de sempre estar alerta. Os excelentes profissionais não são aqueles capazes de reverter a crise, mas sim aqueles capazes de evitá-la.

“Corrigir erros gera aplausos públicos, preveni-los nem sempre gera glamour social, mas produz um reconhecimento insubstituível e anônimo: o da própria consciência” (CURY, 2015)

Servir de forma criativa, inovadora, pensando sempre em formas de melhorar faz toda a diferença nos resultados, tanto para sua vida, quanto para a vida das pessoas a sua volta. Não espere a crise para pensar no que pode fazer para melhorar. Mantenha seu plano B sempre atualizado!

 

3º hábito: “flexibilidade – autocrítica – gestão psíquica”

Cury aborda com muita propriedade a questão da importância do excelente profissional assumir o controle do seu teatro psíquico, buscando decifrar o código de proteção da emoção. (2015, p. 239). Identificar seus padrões de comportamento e ser capaz de antecipadamente reconhecê-los e agir sobre eles fará de você o gestor do seu futuro, tornando-se capaz de atual com brilhantismo sob seu teatro psíquico.

O excelente profissional constrói o futuro enquanto vive “o” presente e “no” presente. No entanto, tem consciência que os momentos de glória existem para serem comemorados e sentidos com intensidade, mas que “as crises começam a ser concebidas no auge do sucesso. A gestão do fracasso inicia-se sob os aplausos do pódio” (CURY, 2015).

Comemore suas conquistas, isso é saudável, porém não viva em êxtase, alimente sua autocrítica e sua mente com desenvolvimento contínuo. Seja flexível, aceite e incentive a mudança!

4º hábito: “busque o sucesso da equipe”

O excelente profissional reconhece a força do trabalho em grupo, busca o sucesso da equipe e compreende que trabalhar em equipe é mais que ouvir a opinião dos outros, mas sim a capacidade de deixar fluir o pensamento, trocar idéias, traçar objetivos e definir focos juntos, é o cruzar das mentes que gera a excelência (CURY, 2015).

Para que este hábito seja executado com eficiência é preciso que o hábito anterior tenha sido muito bem trabalhado, pois o excelente profissional tem consciência das fragilidades humanas, ele sabe que dentro de sua equipe e, dentro de si, existe o ego, vaidades, paradigmas rígidos, hipersensibilidade, ciúmes, necessidades neuróticas de ter a última palavra e, que até mesmo a timidez, às vezes, pode ser uma forma sútil de disfarçar o orgulho (CURY, 2015).

Diante desse desafio, cabe a você conseguir atuar com altruísmo e ter uma postura positiva frente aos impasses do cotidiano, elevando sempre o potencial da equipe e estimulando a democracia das idéias. Seja parte da equipe!

5º hábito: “conquiste o território da emoção e depois o da razão”

Por último, e não menos importante, encontra-se o Carisma e a Cordialidade. Seria impossível imaginar um excelente profissional que fosse agressivo, autoritário, antipático, controlador ou algo assim. Ao contrário disso, ele é alguém capaz de influenciar com maestria toda a sua equipe e por onde passa é bem aceito, é alguém que encanta e esbanja carisma. Ele tem consciência de que tanto para corrigir seus liderados quanto para motivá-los, antes deve-se conquistar o território da emoção e depois o da razão. (CURY, 2015).

Como vimos todos os hábitos apresentados pelo autor podem e devem ser cultivados por todos que almejam tornarem-se excelentes profissionais. Para concluir o texto, Cury deixa uma mensagem que acreditamos ser pertinente para finalizarmos o nosso texto. A todos que pretendem ser excelentes profissionais “[…] entendam que aprender a pensar e surpreender vale mais do que muitos diplomas” (2015, p. 241).

Bibliografia

CURY, A. O código da inteligência. Rio de Janeiro: Sextante, 2015.

Nenhum comentário

Publicar um comentário

WhatsApp chat